Traumatismo cervical - Sintomas e tratamento

O que é provocado e como é tratada a ruptura cervical?

A ruptura do colo do útero é uma violação profunda ou superficial da integridade dos tecidos que ocorre devido à passagem do feto pelo canal de parto. A incidência de lágrimas é significativamente maior em mulheres que dão à luz pela primeira vez.

Vamos considerar as principais causas do processo patológico, possíveis consequências e métodos de tratamento.

Conteúdo do artigo

Por que ocorrem interrupções ?

As rupturas do útero ocorrem devido a um forte estreitamento das paredes da faringe uterina. Isso, por sua vez, aumenta significativamente a probabilidade de danos aos tecidos durante o parto.

Especialistas identificam várias causas de lesão:

O que é provocado e como é tratada a ruptura cervical?
  • Baixa elasticidade dos tecidos. Mulheres depois dos 30 anos de idade têm muito mais probabilidade de sofrer micro-fissuras e lágrimas do que as mulheres mais jovens;
  • Anomalias. Quando o feto passa pelo canal de parto, o útero nem sempre se abre totalmente, o que também está repleto de danos;
  • Inflamação. Os processos inflamatórios, assim como as cicatrizes, tornam o tecido menos elástico;
  • Entrega rápida. A passagem rápida do feto através do canal de parto causa danos ao canal cervical que conecta a vagina ao útero;
  • Tamanhos grandes de cabeça. A cabeça do feto muito grande contribui para o alongamento e, como resultado, a interrupção da integridade do órgão do músculo liso;
  • Intervenção operacional. Ao remover artificialmente o recém-nascido, são utilizadas pinças de metal, que ferem as paredes já finas do canal de parto;
  • Obstetrícia incorreta. A incompetência do médico também leva à formação de fissuras no órgão muscular liso.

Como saber se há uma pausa?

Infelizmente, identificar o problema nem sempre é fácil. Em alguns casos, as microfraturas não se fazem sentir de forma alguma. No entanto, danos a órgãos podem levar à inflamação.

Como entender que ocorreu uma ruptura do colo do útero durante o parto?

  • Aparecem manchas vermelhas brilhantes;
  • A mulher está tonta;
  • A pele fica mais pálida;
  • Aparece suor frio.

Também deve ser observado que rachaduras até0,5 cm não causa desconforto à parturiente. Mas, após o parto, o especialista deve fazer um exame adequado para determinar a presença de microrragias nas paredes internas do canal de parto.

Formas básicas de dano

Mudanças patológicas no estado dos tecidos podem ocorrer de forma espontânea e violenta.

Com o que está relacionado o lacrimejamento espontâneo?

O que é provocado e como é tratada a ruptura cervical?
  • Rigidez dos tecidos. Freqüentemente, durante a gravidez, as membranas de um órgão do músculo liso perdem sua elasticidade e se tornam mais soltas e mais sujeitas a danos;
  • Apertando o pescoço do órgão. É freqüentemente encontrada em mulheres em trabalho de parto com pelve estreita. Por causa disso, há fornecimento insuficiente de sangue aos tecidos e seu afinamento;
  • Atividade fetal. Dentro do útero, o feto pode se torcer, fazendo com que os órgãos se estiquem excessivamente e percam elasticidade.

Patologias violentas ocorrem durante as operações de entrega:

  • usando uma pinça;
  • usando um extrator a vácuo;
  • incisão na virilha.

Grau de interrupções

Dependendo da profundidade e do comprimento das fissuras, existem 3 graus de danos no colo do útero:

  • As rupturas cervicais de grau 1 podem ser em um ou ambos os lados. A extensão do dano varia de 3 a 20 mm;
  • As rupturas do colo uterino de grau 2 não atingem o fórnice, mas atingem 20 mm ou mais;
  • Lágrimas mais profundas e mais longas que atingem a abóbada vaginal.

O mais perigoso é a patologia de parto de terceiro grau. Nesse caso, a violação da integridade dos tecidos pode atingir não só o fórnice, mas também a faringe uterina. Isso é repleto de hemorragias profusas na região do tecido paramétrico (peri-uterino).

As antigas rupturas do colo do útero, que se formam após uma reabilitação inadequada, não são menos perigosas. Feridas antigas frequentemente se manifestam como erosão e podem sangrar após a relação sexual ou esforço físico pesado. Ignorar o problema leva ao aparecimento de ectrópio, o que aumenta significativamente o risco de desenvolver câncer.

Possíveis complicações

A patologia pode ter consequências? Infelizmente, lesões no canal do parto costumam causar complicações, especialmente sem um curso adequado de reabilitação.

Quais são as consequências das mulheres no trabalho de parto?

O que é provocado e como é tratada a ruptura cervical?
  • Hemorragias graves;
  • choque hemorrágico;
  • Deformidades cicatriciais;
  • Insuficiência ístmico-cervical;
  • Endometrite e infertilidade;
  • Inversão do pescoço;
  • Aborto espontâneo durante a gravidez subsequente;
  • Úlceras pós-parto.

Deve-se notar que as formações cicatriciais reduzem significativamente a elasticidadecoluna de um órgão de músculo liso. Isso aumenta a probabilidade de anormalidades no próximo parto. Obviamente, as consequências de uma ruptura do colo do útero durante um parto difícil são bastante graves, por isso, se for encontrado um problema, é necessário submeter-se ao tratamento.

Como diagnosticar patologia?

Antes de iniciar o tratamento, é necessário fazer um exame que irá determinar a profundidade e extensão das lágrimas.

Como isso acontece?

  1. Análise das queixas dos pacientes. O especialista esclarece a presença de queixas, a natureza da dor e a duração do sangramento, se houver;
  2. Inspeção. O médico apalpa o abdômen e o útero para determinar a presença de patologia;
  3. Análise da história obstétrica. O especialista avalia o grau de dificuldade do parto, a presença de problemas de saúde pré-natal, as características fisiológicas da paciente, o que permite escolher um curso de tratamento adequado;
  4. Exame externo. Pela palpação, o médico determina o tamanho e a presença de deformidades no útero, bem como o grau de tensão muscular. Isso permite que você estabeleça o fato de hemorragia interna;
  5. Inspeção com espelhos largos. Para diagnosticar pequenas lágrimas, o médico examina a vagina e o útero com um instrumento especial.

E só depois de esclarecido o quadro clínico geral, o tratamento pode ser prescrito. Nesse caso, as consequências negativas após passar pela reabilitação serão mínimas.

Tratamento

Os médicos usam dois métodos principais para tratar rupturas cervicais durante trabalho de parto difícil:

O que é provocado e como é tratada a ruptura cervical?
  1. Costura. As rachaduras com sangramento são suturadas, o que acelera significativamente o processo de regeneração do tecido;
  2. Gula. Em patologias complexas com a formação de rupturas profundas e extensas, uma operação abdominal é realizada com a abertura do peritônio. Assim, é possível eliminar o sangramento nos paramétrios e excluir a possibilidade de formação de hematoma.

Depois de concluir todas as manipulações necessárias, o médico prescreve medicamentos suaves que aumentam as defesas imunológicas do corpo.

Isso reduz significativamente o risco de inflamação purulenta e erosão de órgãos danificados.

Patologias genéricas associadas a laceração do colo do útero e vagina são repletas de complicações graves. Para eliminar o problema e possíveis consequências, é necessário realizar tratamento e somente após diagnóstico preliminar.

Fractura Cervical

Postagem anterior Massagem adelgaçante para pernas e quadris
Próxima postagem Um ente querido caiu em uma seita: como agir?